02 outubro 2006

Para reflectir...

... no nosso Jardim...

Um amigo meu chamado Paul ganhou um automóvel de presente de seu irmão no Natal. Na noite de Natal, quando Paul saiu de seu escritório, um menino de rua estava andando em volta do reluzente carro novo, admirando-o.
_ Este carro é seu, senhor? _ ele perguntou. Paul assentiu. _ Meu irmão me deu de Natal.
O garoto ficou boquiaberto. _ Quer dizer que foi um presente de seu irmão e não lhe custou nada? Rapaz, quem me dera... _ hesitou ele.
É claro que Paul sabia o que ele ia desejar. Ele ia desejar Ter um irmão como aquele. Mas o que o garoto disse chocou Paul tão completamente que o desarmou.
_ Quem me dera _continuou o garoto_ ser um irmão como esse.
Paul olhou o garoto com espanto, e então, impulsivamente, acrescentou:
_ Você gostaria de dar uma volta no meu automóvel? _ Oh, sim, eu adoraria.
Depois de uma voltinha, o garoto virou-se e, com os olhos incandescentes, disse:
_ O senhor se importaria de passar em frente a minha casa?
Paul deu um leve sorriso. Pensou que soubesse o que o rapaz queria. Ele queria mostrar para os vizinhos que podia chegar em casa num carrão. Mas Paul estava novamente enganado.
_ Pode parar em frente àqueles dois degraus? _perguntou o garoto.
Ele subiu correndo os degraus. Então, passados alguns momentos, Paul ouviu-o retornar, mas ele não vinha depressa. Carregava seu irmãozinho paralítico. Sentou-o no degrau inferior e depois como que o fortemente abraçou e apontou o carro.
_ Aí está ele, amigão, exatamente como eu te contei lá em cima. O irmão deu o carro a ele de presente de Natal e não lhe custou nem um centavo. E algum dia eu vou te dar um igualzinho... então você poderá ver com seus próprios olhos, nas vitrines de Natal, todas as coisas bonitas sobre as quais eu venho tentando lhe contar.
Paul saiu do carro e colocou o rapaz no banco da frente. O irmão mais velho, com os olhos brilhando, entrou atrás dele e os três deram uma volta comemorativa.
Naquela noite, Paul aprendeu que a felicidade maior sentimos quando a proporcionamos à alguém.

Texto retirado do livro Canja de Galinha para a Alma.
Autor do texto: Dan Clark

9 comentários:

Fatima Vinagre disse...

Comovente! E concordo a 100% com "a felicidade maior sentimos quando a proporcionamos à alguém.". Bj

Luisa disse...

Que linda história de Natal! cheira a Outono mas, pelos vistos, já estamos a sonhar com outras estações!

igo... disse...

"a felicidade maior sentimos quando a proporcionamos à alguém." Não é preciso dizer mais nada... uma história encantadora. Um beijo, gmc

Sininho disse...

Belissima história e que dá uma bela reflexão, todos nós se olharmos para o lado podemos proporcionar a felicidade a alguem.

Cadinho RoCo disse...

Somos sempre dependentes de alguém.
Cadinho RoCo
www.balaiodeminas.com.br

dina disse...

lindo

Patrícia Santos disse...

Que coisa fantástica...

Porque será que as pessoas se esqueceram de ser assim?

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Extraordinário....
Não só vou reflectir, como divulgar, como tentar aplicar.
Obrigada por este momento.
Beijo

Marcos disse...

por vezes andamos tão centrados em nós próprios que nos esquecemos de colorir a vida com sorrisos que podemos criar nos outros. E é preciso tão pouco!
gostei mt de ler!