25 abril 2007

25 de Abril de 1974




da Universidade de Coimbra

Para muitos é apenas uma data, um feriado.
Para alguns é o marco de uma época de luta.
Para as nossas crianças, muitas das vezes é uma grande “seca”, ano após ano a mesma coisa, sem conteúdo e sem aplicação real lhes é ensinado na escola a mesma lenga a lenga.
Mas as mentalidades estão a mudar, é preciso não esquecer o “antes”, pois parece que muitos se esqueceram… reflectiu-se na recente votação do melhor Português… nem quero pensar quem ganhou, é uma vergonha, mas isto tem que ser “lido” de outra forma, estou convencida que há-de haver uma explicação lógica.
Mas tudo isto para quê?
Para vos dizer que estou muito feliz com o modo como este ano foi novamente ensinado ao meu filho o “A Revolução dos Cravos”, não sei se foi ideia da professora (pois ainda não falei com ela) ou se foi uma directriz superior, o certo é que o meu filho ficou exactamente a perceber como era o “antes”.

A professora “simulou” uma aula exactamente como poderia ser uma aula “antes” da dita revolução que eles tanto ouvem falar, quem passou a mensagem à professora foi a sua própria mãe.

O meu filho mais velho ao ver o teatro que o irmão representava para nós (como a professora assim fez na aula) só disse:

- Era uma chapada que saltava fora da aula!

EH EH EH EH EH para eles é como se fosse no tempo da pré-história, é como se esse modo de viver nunca tivesse existido, fosse um filme rebobinado.

LIBERDADE – sabor doce.

Visitem o site do “Centro de Documentação 25 de Abril” da Universidade de Coimbra, um lugar rico em informação.

5 comentários:

rui disse...

será que vivemos hoje em liberade?
25 de Abril Sempre!

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

Gostei deste post.
Acho no entanto, que temos que saber passar melhor e correctamente essa fase de nossas história aos nosso filhos, pois para eles, alguns factos que contamos, são como dizes, pré-históricos.
Bjs

Amaral disse...

E verdade que temos "esquecido" de transmitir aos mais novos, de maneira singela, prática e eficaz, o que era a prática corrente, antes de 1974.
Por isso, ouvimos tantos jovens dizer, em inquéritos, que não sabem o que foi o 25 de Abril...
Compete-nos, então, a nós, pais e avós, dar uma ajuda, darmos um testemunho mais directo e pessoal, de forma a que a História não se perca para aqueles que não vão ter acesso a certos livros ou documentos específicos...

Sónia disse...

Fiquei fã deste blog!!!

Beijocas!

Mocho Falante disse...

ola viva. visito-te noutra data importante o 1 de Maio, mas de facto Abril será sempre o nosso Abril que é proibido esquecer.

Beijocas