21 fevereiro 2006

Aprenda a apreciar o que "tem"

Foto: Sónia Nabais

Recebi, em tempos, esta história por email que gostaria de partilhar convosco.

Um dia, um pai pertencendo a uma família rica levou o filho ao campo para lhe mostrar como viviam os pobres.
Passaram alguns dias na quinta de uma família que não tinha muito para lhes oferecer.
No regresso, o pai perguntou ao filho: "Gostaste da tua estadia?"
"Foi fantástica, pai!"
"Viste como vivem as pessoas pobres?" Perguntou outra vez o pai.
"Ah Sim!" Respondeu o filho.
"Então, o que aprendeste?"
O filho respondeu-lhe "Vi que nós só temos um cão ao passo que eles têm quatro.
Nós temos uma piscina que ocupa metade do jardim e eles vão a uma grande baía no mar.
Nós temos lanternas no nosso jardim e eles têm estrelas por todo o lado no céu.
Nós temos uma imensa galeria à frente e eles têm o horizonte.
Nós temos uma propriedade e eles têm campos a perder de vista.
Nós temos criados ao passo que eles servem os outros.
Nós compramos os nossos alimentos e eles cultivam-nos.
Nós temos muros à volta da propriedade para nos protegerem. Eles têm amigos que os protegem."
O pai ficou mudo.

O filho acrescentou, "Obrigado pai por me teres mostrado tudo o que não temos".
Na maioria das vezes esquecemo-nos daquilo que temos para nos apoquentarmos com o que não temos.
O que é um objecto sem valor para um pode muito bem ser um tesouro para um outro. É apenas uma questão de perspectiva.
Dá quase vontade de perguntar o que aconteceria se déssemos graças a Deus por tudo o que temos em vez de querermos ainda mais.

Aprenda a apreciar o que "tem".

5 comentários:

clotilde disse...

Somos uns ingratos!

Gostei muito do blog.

igo... disse...

Já tinha recebido esta história por email... tem um grande ensianamento... está mesmo fantastica... Um beijnho... gmc

Amaral disse...

A história só prova que há o suficiente para cada um e abundância para todos. O que quer dizer que o muito para uns pode não interessar a outros e o pouco de alguns é justamente aquilo que eles pretendem. O importante é termos a consciência de que existe o suficiente para nos tornarmos todos pessoas sensatas, alegres e felizes com a vida...

Censor disse...

E não é que a criança tem razão... pena que não mostrem a mais crianças ricas as coisas por esse prisma... talvez se tornassem adultos de maior partilha, e a pouco e pouco é provavel que a pobreza fosse acabando. (Utupia)

Anónimo disse...

Very nice site! here